13/09/16

Políticas e Estratégias do Audiovisual: a Migração para o Digital

A “pós-televisão” e a era digital, a Internet e as redes sociais, "users" e “produsers”, consagram novos ambientes virtuais e novas comunidades que se interligam numa teia complexa, cuja avaliação é dificultada pela multiplicidade de padrões de consumo e de interacção, pela constante mutação e mobilidade de suportes, interfaces, plataformas de gestão de conteúdos, etc. Quer no âmbito jurídico-político, quer no âmbito estritamente tecnológico, quer ainda no plano da produção de conteúdos e da sua recepção, no contexto da migração para um sistema matricial e interactivo, é sobre essa complexidade que nos propomos fazer, neste seminário, uma reflexão de modo a pensar e compreender a transição de paradigma nas suas múltiplas dimensões.


Programa

14/9/2016
1. Sessão de boas vindas e apresentação do Programa e organização da disciplina
1.1 Breve caracterização dos conteúdos programáticos
1.2 Sistema de avaliação, calendário, metodologias e fontes

21/9
2. Contextos
2.1 Genealogia do dispositivo histórico-cultural pós-alfabético
2.2 O dispositivo mediático: da paleo-televisão ao digital

28/9
3. Dispositivos
3.1 O pós-mediático. Fragmentação do modelo audiovisual, multiplicidade da oferta, hiperfragmentação, egocasting
3.2 Caracterização da emergência e evolução do dispositivo pós-televisivo
3.3 Sobre a Era Digital: Do Analógico ao Algorithmic turn

5/10
4. Políticas
4.1 Políticas Europeias, Políticas Públicas e Regulação na era da convergência
4.2 Lições das políticas europeias do audiovisual: da revisão da Directiva no contexto da migração para o digital
4.3 O Public Service Media e os Desafios da Era Digital

12/10
5. Novos media, pluralismo, diversidade, identidade
5.1 Pluralismo e diversidade na televisão generalista: questões metodológicas no quadro dos estudos comparativos no contexto europeu
5.2 Problematização do conceito de pluralismo/concentração no contexto da migração para o digital


19/10
5.3 A problemática da identidade no contexto dos novos media e do digital
5.4 Identidades virtuais em mundos virtuais
5.5 Jovens, identidade e digital media


26/10
6. O jornalismo e o digital
6.1 Novas narrativas, "produsers" e interactividade: teoria e prática
6.2 Novas plataformas, produção e agregação de conteúdos
6.3 O jornalismo e o digital: desafios e ameaças

2/11
7. Sociedade da Informação e do conhecimento
7.1 Literacia digital
7.2 Cidadania na era da Internet
7.3 O quadro pós-televisivo: inclusão, acessibilidade, privacidade, transparência, neutralidade e abertura da rede
7.4 Mercado Único digital

9/11
8. Redes e movimentos sociais
8.1 Miragens digitais: da regulação da Rede às redes de desregulação.
8.2 Social media e mobilização em Portugal.

16/11
9. Efeitos na sociedade em rede: os casos Google e Facebook
9.1 Implicações societais das novas plataformas
9.2 Da “googlization” ao “facebookistão”

23/11
10. Efeitos na sociedade em rede: da Wikileaks à NSA
10.1 A “pegada digital”: O digital e o direito ao esquecimento

30/11
11. Media participativos/colaborativos/jogos
11.1 Cultura participativa: ao encontro de uma nova experiência digital
11.2 Videojogos e serious games: novos usos e desafios

7/12
12. Interatividade e novas narrativas digitais
12.1 Novas Convergências: Media, Humanidades e Artes
12.2 Novos perfis na era digital
12.3 Digital storytelling e documentário interativo

14/12
13. Da Aldeia Global à cidade biométrica
13.1 Big Data, vigilância e protecção de dados
13.2 Hacktivismo, Net-ativismo e hacking ético, Dark Net


Referências bibliográficas

APPADURAI, Arjun
(2004) Dimensões Culturais da Globalização. A modernidade sem peias.       Lisboa: Teorema.

AULETTA, Ken
(2010) Google - O fim do mundo como o conhecemos. Porto: Civilização Editora.

BAUMAN, Zygmunt
(2007) Miedo Líquido. La sociedad contemporánea y sus temores, Madrid: Paidós.

BENKLER, Yochai
(2006) The Wealth of Networks: How Social Production Transforms Markets and Freedom, Yale University Press.

BURGESS, Jean e GREEN, Joshua
(2009) YouTube e a Revolução Digital, S. Paulo: Alpha.

CÁDIMA, F. Rui
(2015) A Era Digital - Primeiros Impactos. Lisboa: Media XXI.
(2011) A Televisão, o Digital e a Cultura Participativa, Lisboa: Media XXI.

CHADWICK, Andrew
(2007) Internet Politics: States, Citizens, and New Communication, Oxford University Press.

DOMSCHEIT-BERG, Daniel
(2011) Nos Bastidores da Wikileaks, Lisboa: Casa das Letras.

GILLMOR, Dan
(2005) Nós, os Media, Lisboa: Editorial Presença.

GREENWALD, Glenn
(2014) Snowden Sem Esconderijo, Lisboa: Bertrand.

HINDMAN, Matthew
(2009) The Myth of Digital Democracy. New Jersey: Princeton University Press.

INNERARITY, Daniel
(2010) O Novo Espaço Público, Lisboa: Teorema.

JENKINS, Henry
(2006) Convergence culture : where old and new media collide. New York: New York University Press.

KIRKPATRICK, David
(2011) O Efeito Facebook, Lisboa, Babel.

PARISER, Eli
(2011) The Filter Bubble, NY: The Penguin Press.

PRIOR, Markus
 (2007) Post-Broadcast Democracy. How Media Choice Increases Inequality in Political Involvement and Polarizes Elections. NY: Cambridge University Press.

SCHMIDT, Eric e COHEN, Jared
(2013) A Nova Era Digital. Lisboa: D. Quixote.

VAIDHYANATHAN, Siva
(2011) The Googlization of Everything and Why We Should Worry, University of California Press.


Datas importantes:

1º Semestre - Aulas (14 de setembro a 14 de dezembro)

Período de inscrição para o Regime de Tempo Parcial / Estatuto do Trabalhador-Estudante: até 7 de outubro de 2016

Entrega de proposta de Trabalho Final da disciplina: 28 de setembro de 2016

Entrega do Trabalho Final da disciplina: 30 de dezembro de 2016

Publicação de resultados: até 13 de janeiro de 2017

Avaliação de recurso e melhoria de nota: 19 a 25 de janeiro de 2017

Registo e publicação dos resultados finais: até 31 de janeiro de 2017


2º Semestre - Aulas (13 de fevereiro a 31 de maio)

Interrupção letiva (Carnaval): 27 de fevereiro até 1 de março de 2017

Interrupção letiva (Páscoa): 10 a 17 de abril de 2017

Registo e publicação dos resultados de frequência: até 16 de junho 2017

Avaliação de recurso e melhoria de nota: 23 a 26 de junho de 2017

Registo e publicação dos resultados finais: até 5 de julho de 2017

--

- Junho-julho de 2017: Escolha do Orientador da Componente Não Lectiva (CNL) e redacção da proposta de Dissertação, Trabalho de Projecto ou Estágio com Relatório.

- Registo da CNL (Componente Não Lectiva) no secretariado do Departamento: até final de setembro 2017. Formulários em: http://intranet.fcsh.unl.pt/alunos-informacao-academica/mestrados/formularios-e-modelos

- Inscrições (Componente Não Lectiva): setembro 2017 (data a anunciar).

3º Semestre
- Entrega da Componente Não Lectiva (Dissertação, Trabalho de Projecto ou Estágio com Relatório): março de 2018

--

Links úteis

SCOPUS - https://www.scopus.com/

A SCOPUS é uma base de dados de referências e citações bibliográfica que abrange cerca de 21 mil títulos de mais de 5.000 editoras internacionais. Inclui 5,5 milhões de documentos de conferências, 20 mil revistas científicas revistas por pares (incluindo 2.600 publicações em acesso aberto), 390 publicações comerciais e 370 séries de livros nas áreas científicas das ciências sociais, artes e humanidades, medicina, tecnologia, ciências puras e naturais.

Através da SCOPUS poderá fazer uma pesquisa por assunto, documento, autor ou afiliação e identificar a produção científica de investigadores e instituições; poderá aceder ao texto integral do artigo, caso este esteja em acesso livre ou for subscrito pela FCSH; tem, ainda, a possibilidade de exportar as referências bibliográficas para o Mendeley e EndNote, e ativar os serviços de atualizações através de alertas de email, RSS e HTML feeds.

Com a SCOPUS poderá acompanhar as citações/publicações de um conjunto de documentos ou autores; analisar a produção editorial dos autores e identificar o seu h-index ou avaliar o desempenho de uma revista científica.

No campus da FCSH, o acesso à SCOPUS é direto. A partir de casa ou de outra localização, poderá aceder à SCOPUS com as mesmas permissões de download que teria no campus, através das credenciais da FCSH ID. Para tal, bastará configurar o seu browser para usar o servidor proxy da FCSH e, a seguir, introduzir o Utilizador e Password da FCSH ID.


Outras Bases de Dados: http://fcsh.unl.pt/faculdade/bibliotecas/biblioteca-digital-1/bases-de-dados


NOVA Discovery: http://search.ebscohost.com/login.aspx?authtype=IP,cookie,UID&group=main&profile=eds

No sentido de oferecer um serviço integrado de pesquisa aos alunos, docentes e investigadores da NOVA, a Universidade adquiriu o EBSCO Discovery Service que permite a meta-pesquisa de todos os recursos bibliográficos das UOs da UNL: catálogos das Bibliotecas, revistas, bases de dados, e-books, Repositório da Universidade NOVA e B-on.


RUN UNL - https://run.unl.pt/?locale=pt


Outros:

DIGITAL AGENDA FOR EUROPE - https://ec.europa.eu/digital-agenda/en/content-and-media

Creative Europe - http://ec.europa.eu/programmes/creative-europe/index_en.htm

MEDIA programme - http://ec.europa.eu/programmes/creative-europe/opportunities/audiovisual-support/index_en.html

European Audiovisual Observatory - http://www.obs.coe.int/en/home

MAVISE : Database on TV and on-demand audiovisual services and companies in Europe - http://mavise.obs.coe.int/welcome

Council of Europe – Media - http://www.coe.int/t/dghl/standardsetting/media/default_en.asp

EUROPEAN BROADCASTING UNION - http://www3.ebu.ch/home

EPRA - European platform of regulatory authorities - http://www.epra.org/

The Body of European Regulators for Electronic Communications (BEREC) - http://berec.europa.eu/eng/about_berec/what_is_berec/


24/06/16

(No) Idea of Europe

But what lies ahead for a continent whose borders are growing and economic might is strengthening, even as its cultural identity recedes? A continent where, in Steiner’s words, “young Englishmen choose to rank David Beckham high above Shakespeare and Darwin in their list of national treasures”? This is the trajectory that Steiner explores so brilliantly in The Idea of Europe.

29/05/16

Facebook’s pseudo-journalistic practices

The US media has more reason than ever to be worried about Facebook. A majority of U.S. adults—62%—say they now get news from social media, and 18% of them do so often, Pew Research Center recently found, based on a 4,600-person survey conducted with Knight Foundation in 2016. See News Use Across Social Media Platforms 2016.

27/05/16

PLUNC 2016 Open Call

OPEN CALL - PLUNC 2016 - Festival de Novos Media e Artes Digitais. A segunda edição do PLUNC vai ser realizada de 29 de Setembro a 2 de Outubro, nas zonas ribeirinhas de Lisboa e Almada, e as inscrições para projectos artísticos digitais e interactivos já começaram. Até 17 de Julho é possível submeter projectos, ideias e experiências originais na área das artes digitais e novos media. Mais info: em http://bit.ly/1qFK1bq

An Internet journalist...

How to Become an Internet Journalist Overnight (Huffpost Comedy)